O Centro Elétrico fornece soluções, abrangendo desde obras pequenas a grandes empreendimentos. Confiança e credibilidade são sinônimos do trabalho da Empresa.

Conheça um pouco do nosso histórico:

No fim do século XVIII, a colônia portuguesa estava radicada no Maranhão, pela figura do governador Joaquim de Melo e Póvoas (1761-1775), sobrinho do primeiro-ministro português Marquês de Pombal. Tal aproximação com a nobreza portuguesa outorgou nos lusitanos uma legitimidade às terras maranhenses para que vingassem seus negócios. Séculos mais tarde, o tino comercial de outro português, José Gonçalves dos Santos, levou à fundação de um tipo de comércio ainda não explorado no estado, o Centro Elétrico.

A história do grupo começou em 1923, quando o jovem empresário português José Gonçalves dos Santos abriu sua loja na área onde hoje fica localizada a Avenida Magalhães de Almeida, no centro da cidade. Alguns anos depois, o estabelecimento mudou-se para a Rua Grande, principal centro comercial da cidade à época. "O imóvel escolhido foi o sobrado n°321A, na quadra entre as ruas da Cruz e São João, de propriedade da família Gonçalves", conta Izautildes Cunha dos Santos, nora de José Gonçalves dos Santos. A loja permaneceu no endereço por 50 anos.

Para José Gonçalves Neto, que hoje é diretor executivo da empresa, o avô José Gonçalves foi um visionário. "Ele foi um português que veio para São Luís aos 8 anos, trabalhar com o tio, prosperou e fundou sua própria empresa. Ele fundou uma empresa de nome Centro Elétrico, para comercializar material elétrico em uma cidade onde ainda se usava candeeiro a gás e a querosene", frisou.

Filho - Em 1953, José Gonçalves dos Santos Filho passou a ajudar o pai, tornando-se sócio na empresa, que seria marcada pela união familiar. Casada com Gonçalves Filho, foi nessa época que Izautildes Cunha dos Santos passou a trabalhar no Centro Elétrico.

"Quando me casei, me interessei e passei a trabalhar na empresa. Às vezes, trabalhava de casa. Depois que meus filhos cresceram um pouco, passei a vir para a loja, mas sempre apenas no período da manhã, guardando a tarde para ser dona de casa. Apesar disso, eu sempre procurei me inteirar do funcionamento da loja", disse.

Em 1979, José Gonçalves dos Santos Neto, então com 16 anos, começou a ajudar o pai na administração da empresa. À época, o avô já havia falecido. "Quando eu nasci, já existia o Centro Elétrico. Nós morávamos na Rua de Santaninha, a três ou quatro quarteirões da loja. Então, desde criança, a gente tinha o costume de ir pela manhã para a escola e à tarde ir para a loja. Esse envolvimento com a loja foi algo natural", contou.

Neto - Em 1983, o grupo inaugurou a loja do São Francisco, bairro que despontava no início dos anos 1980 uma vocação comercial bem acentuada. "Assim que eu comecei a trabalhar na loja da Rua Grande, já percebemos que a área já apresentava dificuldades de acesso, de estacionamento. Então, buscamos um local que pudesse nos dar a possibilidade de melhor atendimento. O São Francisco era uma área que estava crescendo, então, abrimos a loja no bairro", informou José Gonçalves Neto. Nesse mesmo ano, a firma ganhou dois sócios: José Gonçalves dos Santos Neto e Izautildes Cunha dos Santos.

Com o inchaço comercial do São Francisco, 10 anos mais tarde foi inaugurada a loja da Cohama. "Essa loja nasceu da necessidade de ter uma com estacionamento próprio, com balcões e melhor estrutura", afirmou José Gonçalves Neto.

Ainda visando ao crescimento do grupo, em 2008 foi inaugurado o centro de distribuição e loja da Avenida Guajajaras, iniciando uma nova era para o Centro Elétrico, passando a atender a indústrias, construtoras, empresas de manutenção e prestadoras de serviço com excelência, além de continuar com o serviço de varejo. "O Maranhão foi crescendo e nós fomos junto, vislumbrando lojas que pudessem atender melhor o público e em bairros estratégicos", disse.

A família Gonçalves parece ser a prova viva do ditado popular "Filho de peixe, peixinho é". Desde José Gonçalves dos Santos, fundador do Centro Elétrico, os filhos e netos vêm se sucedendo na administração do negócio da família. Desde 1953, quando José Gonçalves Filho, filho do fundador, passou a trabalhar com o pai, mais duas gerações da família já atuam no negócio. A chegada das novas gerações foi fundamental para o progresso da empresa.

Segundo os registros da Junta comercial do Estado do Maranhão (Jucema), o estabelecimento é o segundo mais antigo com a mesma razão social e nome de fantasia em atividade. O Armarinho A Moderna, na Rua Grande, ocupa a primeira colocação no ranking das mais antigas em atividade da Jucema.

Hoje, membros da família são responsáveis por funções determinadas na empresa. Na presidência, está Izautildes Cunha dos Santos, nora de José Gonçalves dos Santos, esposa de José Gonçalves dos Santos Filho e mãe de José Gonçalves dos Santos Neto, que é o atual diretor executivo. "Todo mundo que atua na empresa, atua em áreas para as quais está qualificado. Não existem privilégios. Além disso, todo mundo trabalha com muito amor, por isso, temos dado certo todo esse tempo", disse a matriarca da família Gonçalves.

A primeira sucessão aconteceu após o falecimento de José Gonçalves dos Santos, quando José Gonçalves dos Santos Filho assumiu a administração da empresa. A segunda sucessão também foi algo natural. Na época, o homem da família era quem assumia o negócio dos pais. Assim, José Gonçalves dos Santos Neto se preparou para assumir os negócios.

"Minhas irmãs Tânia Regina Cunha dos Santos e Silvana Maria Cunha dos Santos Rodrigues também ingressaram nos negócios da família. Meu pai soube trabalhar muito bem essa questão, observando as habilidades dos filhos e delegando a cada um deles funções específicas. Após o falecimento do meu pai, minhas irmãs e meus filhos, José Gonçalves dos Santos [Gonçalves Júnior] e Marcos Gonçalves Amorim dos Santos tornaram-se sócios", informou José Gonçalves Neto.

Modernização - Com as novas gerações surgem novas ideias e por meio disso foi possível ampliar o mix de produtos, estrutura de loja e melhorar os processos da empresa. "Quando eu comecei a trabalhar com meu pai, a empresa estava crescendo e estava no momento de convencê-lo a fazer algumas mudanças. Houve alguma resistência em relação a alguns assuntos, como, por exemplo, o formato da loja e informática. Naquela época, não se falava em informática. O importante era mostrar a ele que essas mudanças seriam necessárias e que os investimentos e novos processos iriam se pagar e trazer melhores resultados, tornando a empresa mais eficiente", contou José Gonçalves Neto.

Ele lembra que à época seu pai dizia: "Nós fazemos isso há 50 anos, meu filho, vamos mudar agora?".

"Naquela época, um computador custava o preço de um fusca. Então ele perguntava por que comprar um carro para fazer o que já se fazia com papel e à mão há 50 anos", afirmou. "Desde então, já fizemos diversas mudanças na estrutura de loja. O atendimento de balcão para gôndolas, implantação de sistemas de automação para agilizar e modernizar os processos. Também atualizamos nossa marca, dando um ar mais sofisticado sem perder o tradicionalismo", informou José Gonçalves Neto.

De 1923 aos dias de hoje, o Centro Elétrico mudou, cresceu e se tornou um dos maiores fornecedores de suprimentos elétricos para construção e indústria do Brasil. Todo esse sucesso é devido a um objetivo, o de oferecer produtos/materiais de qualidade com atendimento personalizado e a experiência de quem conhece o mercado.

Bem próximo do seu Centenário o Centro Elétrico que iniciou sua história de sucesso na Av. Magalhães de Almeida, hoje tem 3 grandes lojas que atendem a toda a população maranhense e obras por toda a região Nordeste, uma localizada no bairro São Francisco, uma no bairro Cohama e uma na Avenida Guajajaras.

LOJAS

Loja no bairro São Francisco

No São Francisco, bairro de grande ascensão comercial na década de 80, a loja ganhou real destaque na área de materiais elétricos e começou a se tornar referência em atendimento e variedade.

Loja no bairro Cohama

Em 1994 é inaugurada a loja no bairro Cohama. A tradição de fazer melhor continuou crescendo aliando estrutura de grande porte, certificações de qualidades e o prêmio “Empresário do Ano”. Em 2005 a loja foi ampliada, tornando-se a maior do segmento na região Nordeste/Norte.

Loja na Avenida Guajajaras

O centro de distribuição e loja da Avenida Guajajaras, inaugurado em outubro de 2008, iniciou uma nova era para o Centro Elétrico, passando a atender indústrias, construtoras, Empresas de manutenção, prestadoras de serviço com excelência, além de continuar com o serviço de varejo. Hoje, este centro dispõe de um dos maiores estoques de suprimentos para construção do Brasil, em uma área de 18.000m² com loja climatizada, amplo estacionamento para clientes e fornecedores e iluminação interna natural que inibe o desperdício de energia, colaborando assim com o meio ambiente.